quarta-feira, 11 de abril de 2018

CONFRATERNIZAÇÃO DO BLOCO MONA MOMO ACONTECEU NO TEKILA BAR


Confraternização do Bloco Mona Momo, Tekila Bar
A coordenação do Bloco Carnavalesco Mona Momo, agremiação que debutou e desfilou pelas ruas do bairro Tamandaré no carnaval deste ano (o carnaval coqueluche da Pérola do Mamoré de 2018 – junto com as carnavalescas do Tekila Bar), realizou almoço de confraternização nesta terça-feira (10), reunindo sua equipe de trabalho, os colaboradores e patrocinadores do bloco.

Confraternização do Bloco Mona Momo, Tekila Bar
Segundo a dupla coordenadora do bloco (Ariel Argobe e Rosa Solani), o objetivo da confraternização é consolidar a equipe e os colaboradores do grêmio carnavalesco, assim como planejar as atividades deste ano e o carnaval de 2019. A parceria entre o Bloco Mona Momo e o Tekila Bar (já acertada com os proprietários Adão e Márcia), se repetirá no período da Copa do Mundo de 2018, com a organização de uma agenda festiva para assistir aos jogos da seleção brasileira no Tekila. 
 
O Bloco Mona Momo foi criado pelo Grupo Pérolas, ONG LGBT presidida pelo Prof. Jorge Oliveira do Nascimento, com o objetivo de congregar o segmento LGBT da Pérola do Mamoré, foliões e amantes da brincadeira da quadra de Momo e, desta feita, promover a visibilidade do segmento LGBT e suas causas, indo assim, muito além da folia momesca.

quinta-feira, 5 de abril de 2018

DIVINO INICIA ROMARIA EM GUAJARÁ E NOVA MAMORÉ

Romaria do Divino no bairro São José
A Irmandade do Senhor Divino Espírito Santo de Guajará-Mirim deu início à romaria do Divino no dia 1º de abril, Domingo de Páscoa, com celebração de missa para envio do cortejo religioso; sendo a cerimônia realizada pelo Pe. Renato Mendes de Souza na Igreja do Divino Espírito Santo, localizada no bairro São José, onde a coroa fez pernoite.

No terça-feira (2), a Irmandade do Divino de Guajará-Mirim recepcionou a chegada da coroa da Irmandade do Divino Espírito Santo do Guaporé, em ato religioso e popular tomado por profunda emoção e participação de centenas de fiéis. Na quarta-feira (3), depois de acompanhar a despedida da Irmandade do Guaporé - que seguiu viagem para o distrito de Surpresa -, o Divino de Guajará-Mirim dirigiu-se em procissão, percorrendo ruas dos bairros Triângulo e São José, para pernoitar na residência do senhor Francisco Quintão, devoto do Divino.

Saída do Divino para romaria na zona rual
No dia 4 de abril, a cora da Irmandade do Divino deu início à agenda de peregrinações pela zona rual dos municípios de Guajará-Mirim e Nova Mamoré, realizando visitas em sítios, chácaras e fazendas da região. A romaria rual do Divino de Guajará encerra no dia 16 de abril, com realização de Missa de Encerramento na residência de Senhora Cléia, e almoço na residência de Dona Maria Mercado, bairro Santo Antônio.

quarta-feira, 4 de abril de 2018

CHEGADA DO DIVINO DO GUAPORÉ EMOCIONA FIÉIS

Chegada do Divino no porto de Guajará-Mirim
Romeiros e fiéis do Divino residentes em Guajará-Mirim e região, receberam nesta última segunda-feira (2), no porto da cidade, por volta das 17 horas, a coroa do Divino Espírito Santo (irmandade do Guaporé), em clima de profunda emoção.

A coroa pernoitou na Igreja dedicada ao Divino, localizada no bairro São José e, no dia seguinte (3), terça-feira pela manhã, seguiu para sede da Irmandade do Senhor Divino de Guajará-Mirim. À tarde, visitou a Irmandade do Divino Espírito Santo da Ilha Saldanha.

Este ano, as celebrações de fé ao Divino Espírito Santo – Irmandade do Guaporé -, completa 123 anos de romaria realizada em embarcação tipicamente amazônica, que navega pelos rios Guaporé e Mamoré (rios que estabelecem fronteira natural entre Brasil e Bolívia), levando aos povoados e cidades brasileiras e bolivianas, há mais de um século, a coroa, a fé e os festejos da Irmandade do Divino Espírito Santo.

Divino do Guaporé leva centenas de fiéis pelas ruas de Guajará
A visita da coroa do Divino do Guaporé ao túmulo do Bispo emérito Dom Geraldo Verdier, falecido em 22 de outubro de 2017, e sepultado na Catedral Nossa Senhora do Seringueiro, foi momento de elevada emoção a todos os presentes, em especial aos romeiros, em razão do carinho que Dom Verdier dispensava às irmandades e aos devotos do Divino.

Homenagem do Divino do Guaporé a Dom Verdier
No final da tarde de terça-feira (3) a coroa da Irmandade do Divino Espírito Santo do Vale do Guaporé partiu, navegando pelo rio Mamoré, em direção à comunidade de Surpresa, distrito de Guajará-Mirim localizado às margens do rio, para iniciar o calendário de romaria deste ano.

quinta-feira, 15 de fevereiro de 2018

RESSACA DO CARNAVAL COM WILMEN NO TEKILA

Cantora Wilmen
É de fazer chorar / quando o dia amanhece / e obriga o frevo acabar / ó quarta-feira ingrata / chega tão depressa / só pra contrariar”, diz a letra da marchinha de Luiz Bandeira, anunciando saudades e o fim da farra carnavalesca. Porém, em Guajará-Mirim nem tudo está perdido ou é só saudades. O folião ainda tem o que aproveitar do reinado de Momo.

Salão do Tekila, carnaval 2018
A gerência do Tekila Bar, onde aconteceu o melhor carnaval da Pérola do Mamoré dos últimos anos, reunindo brincantes dos blocos populares da cidade, comunica aos clientes, foliões e público em geral que neste próximo sábado, dia 17, acontecerá o grande baile Ressaca do Carnaval 2018 Tekila Bar.

O baile da ressaca começa a partir das 18 horas, com especial participação da cantora Wilmen, artista de Guajará-Mirim que participa do primeiro Reality Show Musical do Estado de Rondônia. A apresentação de Wilmen está programada para iniciar às 21 horas, encerrando a agenda carnavalesco do Tekila Bar 2018.

terça-feira, 6 de fevereiro de 2018

BLOCO SEI MAS NÃO DIGO DESFILA DIA 12

Brincantes do Bloco Sei Mas Não Digo


No próximo dia 12, segunda-feira, o Bloco Carnavalesco Sei Mas Não Digo – o cordão de foliões da Casa de Farinha – fará o seu segundo desfile pelas ruas da cidade Pérola do Mamoré, para alegria de seus foliões, amantes da quadra momesca, das marchinhas de carnaval do axé e samba de enredo.

O bloco foi criado em 2017, por um grupo de amigos amantes da folia de Rei Momo, com o compromisso de resgatar a autêntica estética do carnaval popular de rua, incentivando o brincante a usar fantasias e adereços que definem cordões carnavalescos espontâneos e com o perfil de entrudo.

Estandarte do bloco
A equipe de Coordenadora do Bloco Sei Mas Não Digo informa aos interessados em participar do desfile do cordão carnavalesco da Casa de Farinha, deverão colaborar com a quantia de R$ 50 reais, arrecadação esta que será usada para cobrir despesas com aluguel de som e compra de bebidas, além de caracterizarem-se, no dia do desfile, apropriadamente com fantasias e/ou adereços carnavalescos.

A concentração é a partir das 16 horas, na Rua Benjamin Constant, nº 541 (Casa de Farinha), com saída prevista para 18:30 horas, fazendo percurso pelo centro histórico da Pérola do Mamoré.

segunda-feira, 5 de fevereiro de 2018

BLOCO DIVULGA REGULAMENTO PARA MUSA MONA-MOMO

O Grupo Pérolas (coletivo de responsabilidade social para promoção e defesa da cidadania e direitos humanos da população LGBT), e a Coordenação do Bloco Carnavalesco Mona-Momo - agremiação criada para congregar o segmento LGBT da Pérola do Mamoré, foliões e amantes da brincadeira de Rei Momo, tendo também o propósito de defender a tradição do carnaval, assim como a cidadania, o respeito, a convivência pacifica e direitos da população homossexual da cidade - divulgam regulamento para interessadas em participar do "Concurso Mona-Momo Carnaval 2018", evento a ser realizado no dia 9 de fevereiro, próxima sexta-feira, a partir das 22 horas, na sede do Tekila Bar, no bairro Tamandaré. Veja, a seguir, o regulamento na íntegra:

GRUPO PÉROLAS - BLOCO CARNAVALESCO MONA-MOMO

Concurso “Musa Mona-Mono Carnaval 2018”
Regulamento e Regras para Inscrição


1) O concurso “Musa Mona-Mono Carnaval 2018” será realizado Pelas Coordenações do Grupo Pérolas – coletivo de responsabilidade social para defesa de direitos e cidadania da população LGBT - e pela Coordenação do Bloco Carnavalesco Mona-Momo.
2) Poderão participar do concurso apenas as candidatas que preencham integralmente os seguintes requisitos:
Ser do seguimento LGBT (particularmente travestis, transexuais e transformistas) residentes e domiciliadas em Guajará-Mirim;
Maiores de 18 anos, completos até o dia 09 de fevereiro de 2018 e comprovados pela cópia de sua cédula de identidade;
3) Para participar, as candidatas deverão preencher a ficha de inscrição, com todas as informações solicitadas, aceitar as regras e o regulamento. A inscrição ocorrerá exclusivamente na sede do Tekila Bar, localizado nas confluências das ruas Rocha Leal com 12 de Outubro, bairro Tamandaré.
4) A organização não se responsabiliza por inscrições perdidas, atrasadas, enviadas erroneamente, incompletas, incorretas ou imprecisas. As candidatas são responsáveis pela veracidade das informações prestadas.
5) As candidatas selecionadas comprometem-se, desde já, a realizar pelo menos um ensaio, bem como permitem a gravação de imagens em vídeo, durante o ensaio, por parte da equipe de organização.
6) As candidatas estão expressamente proibidas de ofender organizadores do concurso, jurados, patrocinadores, parceiros ou as demais candidatas, sendo vedado questionar o método de votação estipulado pela organizadora em entrevistas para emissoras de TV, jornais, revistas e em comentários de matérias, textos e reportagens.
7) As candidatas autorizam a divulgação de seus nomes sociais e cedem, de forma gratuita, ilimitada e em caráter definitivo, o direito de exibição das imagens captadas durante ensaios e desfile realizados pelo concurso e, ainda, de quaisquer outras imagens fornecidas pelas candidatas, autorizando a sua reprodução em número ilimitado de vezes e por tempo indeterminado, por parte da organizadora.
9) As imagens e vídeo produzidos pela organizadora só poderão ser divulgadas em veículo de comunicação, de internet, rádio, TV ou jornal, com autorização expressa da organizadora.
10) O concurso “Musa Mona-Mono Carnaval 2018” acontecerá dia 9 de fevereiro de 2018, a partir das 22 horas, no Tekila Bar, localizado nas confluências das ruas Rocha Leal com 12 de Outubro, bairro Tamandaré, onde também acontecerá a divulgação do resultado final do concurso.
1) Após a definição da vencedora, a candidata autoriza, reconhece e aceita, automaticamente, que os dados pessoais e demais informações, inclusive os submetidos por meio do formulário de participação, passam a ser de propriedade da organizadora, sem que qualquer valor seja devido à candidata.
12) A vencedora do concurso receberá o título de “Musa Mona-Mono Carnaval 2018”, além da quantia de R$ 100,00 (cem reais) e brindes, porventura cedidos por patrocinadores; a segunda colocada receberá brindes porventura cedidos por patrocinadores.
13) Todas as candidatas também reconhecem e aceitam expressamente que a organizadora não poderá ser responsabilizada por qualquer dano ou prejuízo oriundo da sua participação no concurso “Musa Mona-Mono Carnaval 2018”.
14) Caso seja detectado qualquer tipo de fraude ou manipulação, independente do meio utilizado, entre o momento da inscrição e o resultado final, a candidata será sumariamente desclassificada.
15) O regulamento poderá ser alterado e/ou o concurso suspenso ou cancelado, sem aviso prévio, por motivo de força maior ou por qualquer outro ou motivo, a critério da Comissão Organizadora.
16) Estão impedidos de participar do concurso “Musa Mona-Mono Carnaval 2018” qualquer membro da Comissão Organizadora, composta por representantes do Grupo Perola e da Coordenação do Bloco Mona-Momo, e de seus parentes até primeiro grau.
17) Os quesitos em julgamento são: a) beleza, b) samba no pé, c) elegância e simpatia, e d) produção.

18) Durante avaliação, o jurado observará, por item:

1) Beleza. Forma perfeita e proporções harmônicas;
2) Samba no pé. Qualidade de desenvolto; soltura de espírito, de maneiras, desembaraço, vivacidade e conhecimento do samba na arte de dançar;
3) Elegância e Simpatia. Disposição marcada pela harmonia e leveza das formas, linhas, combinação e proporção das partes e movimento, garbo e graça.
4) Produção. Característica específica e marcante da Musa, como: cabelo, maquiagem, figurinos, acessórios, dando a criatividade e originalidade da personagem;

18) Será atribuído notas mínimas de 05 (cinco) e máxima de 10 (dez) pontos por jurado, para cada quesito avaliado.

19) A somatória das notas será efetuada após o término do concurso por integrantes da Comissão Organizadora previamente elencada e um jurado que representará toda a Comissão Julgadora; a somatória dos votos será feita no local onde será realizado o concurso. Após a soma e o resultado já definido o mesmo será levado às mãos do apresentador por um dos membros escolhido, para anúncio dos resultados finais.

20) Em caso de empate, serão utilizados os seguintes critérios: soma total do quesito beleza de candidata. Se persistir o empate, prevalecerá a somatória do quesito samba no pé. Persistindo ainda, prevalecerá o quesito elegância e simpatia.

Guajará-Mirim (RO), 05 de fevereiro de 2018.

Comissão Organizadora

GRUPO PÉROLAS e BLOCO CARNAVALESCO MONA-MOMO

quarta-feira, 31 de janeiro de 2018

CARNAVAL POPULAR DO TEKILA LOUCA E MONA-MOMO


Colaboradores do carnaval no Bar Tekila
Os proprietários do Tekila Bar, casal Adão de Jesus Rodrigues e Márcia de Miranda Albino Rodrigues, e o Coordenador do Grupo Pérolas (coletivo de responsabilidade social para discussão e defesa da cidadania e direitos humanos da população LGBT), Professor Jorge Oliveira do Nascimento, diante da decisão do chefe do executivo municipal – o que se lamenta profundamente -, de retirar a prefeitura do ordenamento e realização dos festejos momesco no município de Guajará-Mirim, vem a público informar que realizá atividades carnavalescas aberta ao público em geral, nos dias 9, 10, 11, 12 e 13 de fevereiro, na sede do Tekila Bar, localizado nas confluências das ruas Rocha Leal com 12 de Outubro, bairro Tamandaré, conforme agenda a seguir:

Dia 9/2, sexta-feira: lançamento do Bloco Carnavalesco Mona-Momo e realização de concurso para escolha da Porta-estandarte do bloco. O Bloco Mona-Mono, idealizado pelo Coletivo Pérolas, nasce com o propósito de congregar o segmento LGBT da Pérola do Mamoré, foliões e amantes da brincadeira de Rei Momo, tendo também o propósito de defender a tradição do carnaval, assim como, promover discussões sobre cidadania, respeito, convivência pacifica e direitos da população homossexual da cidade.

Colaboradores do carnaval no Bar Tekila
Dia 10 e 12 de fevereiro: realização das carnavalescas do Bloco Tekila Louca. O bloco foi pensado com o fito de reunir boêmios e foliões da quadra momesca, moradores do bairro Tamandaré - e dos demais bairros do município -, comprometidos com a tradição e perpetuação do carnaval enquanto traço identitário e cultural do povo brasileiro.

Dia 11 de fevereiro: carnavalesca do Bloco Mona-Momo e desfile pelas ruas do bairro Tamandaré.

Dia 13 de fevereiro: grande baile carnavalesco, reunindo os brincantes dos Blocos Mona-Momo e Tekila Louca, encerrando os festejos de carnaval no bairro Tamandaré, da cidade Pérola do Mamoré.

Prof. Jorge, Coordenador do Grupo Pérolas (ao centro)
Os organizadores das atividades carnavalescas a serem realizadas no Tekila Bar, convidam brincantes, amantes, turistas, visitantes e a família guajaramirense para participar desta festa momesca, para assim contribuir com revitalização do tradicional carnaval popular de Guajará-Mirim, outrora forte e congregadora manifestação festiva de nossa gente.

O Coordenador do Grupo Pérolas, Professor Jorge Oliveira do Nascimento, informa à população local que o carnaval é direito de todos, obrigação do Estado e fator de desenvolvimento local, lembrando ainda que o direito de acesso ao bem cultural, seja ele material ou imaterial, além de constar no rol dos direitos humanos previstos expressamente na Declaração Universal de Direitos Humanos (1948), no Brasil encontra-se devidamente garantido na Constituição Federal de 1988: “Art. 215. O Estado garantirá a todos o pleno exercício dos direitos culturais e acesso às fontes da cultura nacional, e apoiará e incentivará a valorização e a difusão das manifestações culturais”; citando também o § 1.º do artigo sobredito: “O Estado protegerá as manifestações das culturas populares, indígenas e afro-brasileiras, e das de outros grupos participantes do processo civilizatório nacional”, reforçou o professor Jorge.